04 dezembro 2015

Conhecendo Portugal – Coimbra


Visitei um casal de amigos em Coimbra em novembro do ano passado. Essa época é bem fria e chuvosa por lá, então conheci apenas alguns pontos. Coimbra não é grande, em poucos dias dá pra você conhecer quase tudo! Eu curto mais paisagens e arquitetura dos prédios antigos, não gosto muito de museus e igrejas, e isso tem bastante por aqui!

Coimbra é uma das 3 cidades mais importantes de Portugal, por aqui passa o rio Mondego, o maior rio do país. São aproximadamente 143.000 habitantes. É conhecida como a cidade do conhecimento, por atrair milhares de estudantes de todo o planeta para a Universidade de Coimbra, uma das maiores do país.



Universidade de Coimbra
Não podíamos deixar de conhecer a Universidade de Coimbra, uma das mais famosas e mais antigas do mundo!

Foi residência oficial da família real até o séc XII e palácio até o séc XVI, quando a universidade foi fundada, transferida de Lisboa para cá.


O Pátio da Universidade é a parte mais antiga, é aqui que fica a Torre, a capela de São Miguel e a Biblioteca Joanina.



O acesso ao pátio principal é gratuito, mas para conhecer a Biblioteca você tem que pagar. Ela abre a cada 20 min. Para saber mais detalhes e valores veja AQUI 




E com certeza você passará por alguns estudantes vestidos com suas tradicionais capas negras. Nós vimos alguns, mas não consegui fotografar...

Aqui eles levam as tradições dos trajes e cerimônias bem a sério. Uma dessas cerimônias é a chamada serenata monumental em que os estudantes pela primeira vez vestem o traje acadêmico, cada um tem um padrinho e é esse que coloca a capa.
Daqui ainda é possível contemplar uma vista incrível, já que a universidade fica em um dos pontos mais altos da cidade!

Vista de baixo, para vocês terem uma noção do morro que tem que subir para chegar até lá. Olha a Torre da Universidade lá em cima.
Jardim Botânico
Tentamos conhecer o Jardim Botânico, mas começou a chover bem na hora e não tivemos a oportunidade de voltar, só consegui fazer uma foto da entrada. Aqui na frente também fica o Aqueduto, um monumento arquitetônico muito bonito. A entrada é gratuita. Gostaria de voltar para conhecer!
Para atravessar o rio Mondego, passamos pela Ponte Pedonal Pedro e Inês, inaugurada em Novembro de 2006. É uma estrutura anti-simétrica com 275 metros de comprimento, que se eleva a 10 metros da água, apresentando no centro uma praça com oito metros de largura, definida como local de pausa e de meditação, o Parque verde do Mondego.
Uma área muito gostosa para caminhar, andar de bicicleta e tomar um sorvete.





E mais a frente chegamos a um outro parque, o Parque Manuel Braga ou Parque da Cidade, esse já mais antigo, construído na década de 20.

No outono as árvores ficam maravilhosas!





Baixa de Coimbra (centro comercial de Coimbra)
A Baixa é sempre uma parte histórica da cidade em todos os lugares aqui em Portugal, como também em outros países. Enquanto a Universidade fica na parte alta e é predominantemente estudantil, esta é a parte mais baixa, repleta de comércio com lojas de todo tipo.

Suas ruas estreitas margeadas por antigos casarões são um convite a caminhar e viajar no tempo. Aqui você pode comer um prato típico e também os famosos doces, além de ouvir um fado.


Ainda pelos becos da Baixa, encontramos a Igreja São Tiago, mas não chegamos a entrar.

Viram como é possível fazer turismo sem gastar nada. Fizemos esse passeio em 2 dias, só caminhando por essa região, não pudemos conhecer mais porque a chuva não deixou, hehehe
Tem alguns outros pontos, que são pagos, e que ainda quero voltar para conhecer quando tiver oportunidade, deixo a dica aqui para vocês:

Um passeio gostoso para fazer com as crianças, mas que diverte também os adultos. É um parque que tem todos os monumentos de Portugal em miniatura.

Um cenário de amor e tragédia do verdadeiro "Romeu e Julieta" português, história do romance entre Inês de Castro e Dom Pedro. A antiga residência hoje é um belo hotel, mas a fonte onde Inês teria sido assassinada ainda permanece, assim como o mistério e paixão que representa.

O mosteiro foi alvo das inundações provocadas pelo rio Mondego e em 1677 e as freiras mudaram-se para um novo edifício, construído num lugar mais elevado, passando o primitivo a ser chamado Santa Clara a Velha. O percurso do visitante engloba visita às ruínas, exposição de espólio arqueológico conventual, exibição de filmes e modelação virtual.

Deus abençoe vocês!

“Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.
Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.”
1 Timóteo 6:7-8

Nenhum comentário:

Postar um comentário